sexta-feira, 18 de julho de 2008

SÉTIMO DIA - 17 de julho



17 de julho – SÉTIMO DIA

Quase perdi a hora... acordei as 8h e em 3 minutos já tinha escovado a boca, trocado de roupa e saído do quarto. Mas antes de sair tive que acordar o meu companheiro de quarto chamado Jonathas, 25 anos (desde criança no MIDADEN), e atual secretário geral do MOANI (Movimento de Apostolado de Crianças e Adolescentes). Dona Rita (MAC Brasil) quando veio aqui, anos atrás, ficou alguns dias na casa dele.

As 9h os trabalhos no plenário iniciou com os objetivos do dia e ANÁLISE DA SITUAÇÃO ATUAL A PARTIR DO DOCUMENTO DE SÍNTESE SOBRE A DIVERSIDADE.
Trabalho individual de uma releitura da síntese e responder um questionário.

As 11h tivemos uma mesa redonda com três convidados. Dois chilenos (trabalham com políticas públicas) e um teólogo e membro do MIDADEN de Sri-Lanka, Ásia (Lála).
Nos momentos de perguntas perguntei de que diversidade o MIDADE está falando. Disse que eu defendo uma diversidade diferente das promovidas pelos organismos capitalistas como o Banco Mundial e a Ford. Que, para mim não se pode falar de diversidade sem falar de capitalismo, neoliberalismo, globalização, exploração do trabalho e imperialismo. Senti que mexeu um pouco com a assembléia. Espero, pois esse tema é uma “cilada”, como diz Perucci (professor e pesquisador universitário).

Almoçamos e fui com Dona Rita ajudar a Andréia a preparar a sua apresentação da tarde sobre a diversidade na África. Ela leu na síntese e pesquisou (conversou) com alguns africanos a realidade das crianças na África. Para apresentar tal situação africana em plenário resolveu fazer uma paródia com a música de Luiz Gonzaga (Convidei o compadre Sebastião para ver o que há na linda África. Ele gritava DI –VER- SI- DA- DE...).

A tarde então, foi dedicada a apresentação da comissão de crianças e adolescentes e de suas impressões sobre a síntese do tema. Apresentaram em power poit sobre o processo de como nasceu a coordenação latino americana de crianças e adolescentes. Em seguida da apresentação oral a coordenação de crianças/adolescentes apresentam em forma de teatro, jogos, música e exposição. Eu ajudei a representar uma realidade da Ásia em que as crianças são pressionadas demais a estudas e não tem tempo para brincar e também maltratadas pelos professores (eu e um padre da Coréia éramos “niños” sendo maltratados pelo professor e Ciro o professor).
Terminado as apresentações criativas sobre o tema, os adolescentes voltaram a mesa para perguntas da assembléia a eles. Dentre as perguntas, volta a residência da proposta da cotização das próprias crianças: um africano perguntou de onde surge a proposta e se ala não é uma imposição. Os adolescentes responderam enfaticamente que era uma proposta.

Voltamos aos mesmos grupos de ontem para partilhar o que lemos e respondemos a partir da síntese.

Jantamos e fomos para a noite cultural do Oceano Índico (Ilha Maurício, Ilha Reunião, Ilha Rodrigues e Mandagascar – que chegou essa manhã). Trouxeram muitas fotografias, bandeiras e músicas. Comemos doces trazidos pelas delegadas do Oceano Índico. A noite cultural terminou um pouquinho mais cedo. E como não teve reunião da América Latina, vim logo que pude, para tomar banho e escrever a vocês.

Boa noite
Já estou “pescando”, com muito sono.

2 comentários:

Sérgio Barros disse...

Muito boa a sua descrição! Quem sabe a gente pde produzir um livro que servirá de base para fortalecermos a globalização da solidariedade e não da desigualdade capitalista! Coragem e Ousadia, profeta do MAC Brasil!

Paz e bem.

latino disse...

É POR AI...
DISCIPULOS DE CRISTO É PRA INCOMODAR MESMO! SEM INCOMODAR NADA TRANSFORMA... TUDO PERMANECE COMO ESTÁ.
PRA QUE TANTO ESFORÇO PRA UM ENCONTRO INTERNACIONAL PRA VOLTARMOS DO MESMO JEITO!? É PRECISO PROVOCAR E MUDAR NOSSO JEITO DE SER, NOSSAS ATITUDES SOBRE O TEMA DA DIVERSIDADE.
O PLANETA É DIVERSIDADE, O HUMANO É DIVERSIDADE, O SAGRADO É DIVERSIDADE, O UNIVERSO É DIVERSIDADE, O AMOR É DIVERSIDADE...
ENTÃO... PRECISAMOS SIM, AMPLIAR SENTIDOS E VISÕES SOBRE "DIVERSIDADE", MESMO QUE NÃO CONCORDEMOS, É PRECISO ACEITAR, CONVIVER, RESPEITAR E INTEGRAR.

VIVA ENTÃO A DIVERSIDADE... ELA É NOSSA E NINGUÉM PODE TIRAR.

ACREDITO NÃO SÓ O MAC-BRASIL MAIS TODOS DO MIADEN PRECISAMOS DAR CONTINUIDADE A REFLETIR E SENTIR ESTE TEMA EM NOSSO COTIDIANO. VEM AI... O NOVO PLANO DE AÇÂO.

ABRAÇOS Y BUENAS REFLEXIONES.

CLEDSON REIS - MAC / BRASIL